Curso de poesia, discussões sobre ditadura e show do Frei Damião no segundo dia da Fenagreste

Frei Damião Silva faz programação desta quarta-feira. Ele apresenta show no palco principal.

Curso de poesia, palestras e show do Frei Damião Silva fazem parte da programação do segundo dia da Feira Nacional do Livro do Agreste – Fenagreste. Promovida pela Associação do Nordeste das Distribuidoras e Editoras de Livros – Andelivros, a Companhia Editora de Pernambuco – Cepe, com apoio do Governo de Pernambuco e da Prefeitura de Caruaru, a feira segue até o domingo (15) no Espaço Cultural Tancredo Neves, em Caruaru.

A feira abre às 9h e, às 9h30, começa a contação de histórias na tenda infantil. Na parte interna do pavilhão, rola a primeira parte do curso “Poesia conta história, história vira poesia”, ministrado pelo contador de histórias e mestre e doutor em Letras Gláucio Ramos Gomes, na sala Vital Santos. Ele abordará a contação de histórias pelo olhar poético, usando os recursos de figuração e rima. Já no espaço Souza Pepeu, o artista plástico Terciano Torres faz o lançamento do livro ilustrativo Imagens de Caruaru, com imagens de pontos turísticos e importantes da Capital do Forró, a partir das 11h.

Durante a tarde, a brincadeira continua na tenda infantil, com mais contação de histórias. Para os adultos, haverá o lançamento do relatório da Comissão da Verdade, seguido da palestra do jornalista e escritor Luiz Felipe Campos, na Sala Souza Pepeu. O autor lança o livro Massacre da Granja São Bento, sobre o marcante fato histórico registrado durante a ditadura em Abreu e Lima, Região Metropolitana do Recife.

Nas 241 páginas da obra, ele relata os seis assassinatos brutais da paraguaia Soledad Barret, da checa a Pauline Reichstul, do gaúcho Luiz Edvaldo Ferreira, do baiano Eudaldo Gomes das Silvas e dos pernambucanos Jarbas Pereira Marques e José Manoel da Silva. Os jovens foram mortos por denunciarem as violações dos direitos humanos no Brasil.

“As seis mortes foram levadas à opinião pública como troféus do combate ao terrorismo. A operação policial foi revestida de heroísmo: a modesta granja transformou-se em campo de treinamento de guerrilha e os mortos foram descritos como perigosos terroristas a serviço de Fidel Castro e do comunismo internacional”, diz o autor na obra. Luiz Felipe dedicou cinco anos à pesquisa sobre um episódio até então nebuloso, por se conhecer dele apenas versões oficiais.

Ainda com sobre o tema da ditadura militar no País, às 19h30, o publicitário e escritor da Academia Pernambucana de Letras José Nivaldo Júnior bate um papo com o público e autografa o livro O Julgamento de Deus, que narra fatos da época do regime militar no Brasil. Um pouco antes, às 18h30, o Frei Damião Silva, intérprete da música Anjo de Deus, em parceria com a cantora Elba Ramalho, apresenta-se no palco principal.

Comentários

Postagens mais visitadas